Mouse completa quarenta anos.

sábado, 27 de dezembro de 2008


No dia 9 de dezembro de 1968, há mais de 40 anos, o engenheiro eletrônico americano de origem nórdica Douglas Engelbart fez, juntamente com sua equipe no Instituto de Pesquisa de Stanford, a primeira demonstração pública de uma nova engenhoca. Era uma espécie de cubo com rodinhas perpendiculares uma à outra, embutidas na parte de baixo. Os movimentos das rodinhas se traduziam em movimentos de um ponteiro na tela de um computador. Estava inventado o mouse.
O projeto de Engelbart não era exatamente inventar o hoje indispensável acessório, mas criar um sistema que associasse várias partes do corpo humano aos movimentos do ponteiro na tela do computador. Ele tentou de tudo, inclusive dispositivos montados na cabeça do usuário, mas o mouse venceu por ser mais simples e menos incômodo. Ainda faltavam dois anos para aparecer o primeiro mouse impulsionado por uma trackball, mas a trackball já tinha sido inventada nos anos 50. Só que não do modo como você imagina. Essa primeira trackball era... uma bola de boliche de cinco pinos (uma modalidade de boliche popularíssima no Canadá) que se tornou o coração de um sistema estratégico da marinha canadense chamado DATAR (Digital Automated Tracking and Resolving). O sistema se destinava a enviar informações eletrônicas sobre a posição de navios em batalhas e foi criado em 1952. Nem chegou a ser patenteado, pois era um projeto militar e, portanto, desenvolvido em segredo. Em 1972, a trackball já havia diminuído bem e apareceu dentro do mouse desenhado pelo engenheiro computacional William English, curiosamente o mesmo sujeito que ajudara a projetar o mouse na equipe de Engelbart. Vem daí a errônea associação da invenção do mouse à Xerox, porque William trabalhava nos célebres laboratórios PARC da empresa nos anos 70. Interessante, não? O mouse com trackball logo apareceu no Xerox Alto, o primeiro computador a usar a metáfora da "área de trabalho" e uma interface gráfica para o usuário. Os mouses com a indefectível bolinha embutida estiveram presentes na maioria dos computadores pessoais nas duas décadas seguintes. Hoje, muitos são ópticos. Os mouses ópticos surgiram mais ou menos por volta de 1980, e inicialmente eram de dois tipos. O primeiro usava um LED infravermelho e um sensor que detectavam linhas de um grid numa superfície de metal. O segundo usava um sensor de imagens com detecção de movimentos. Mas os modelos tinham seus problemas - por exemplo, o primeiro tipo não funcionava, é claro, se o mousepad fosse colocado numa posição diferente da original. Hoje, os mouses ópticos funcionam com um sensor mais sofisticado, que tira sucessivas fotos da superfície do mousepad e traduz isso em movimento na tela.


Por: Por André Machado

Fórum pc's

4 Comments:

Anônimo said...

Maça mesmo... Eu nem imaginava que mosso rato era tão velhinho rsrsrsrsrs...
Parabéns pelo blog.

Ramon said...

Realmente, foi uma invenção e tanto.
Hoje nao conseguimos viver sem esse trequinho.

Carol°°°Paula said...

q velhinho, pensava que ra mais novo,rsrsrsrs
bjuss

KGeo said...

ja o meu mouse n passa dos trinta